PROJETO SERRA LEOA

Projeto PNUD-GEF para Gestão Sustentável dos Ativos Naturais de Serra Leoa

Por um lado, a Península é justamente o pedaço de terra onde está localizada a capital, Freetown, e vários outros centros urbanos. Por outro, tem-se ali uma cobertura florestal de 40%, e inclusive a presença de chimpanzés in situ. As zonas adjacentes à Península de Western Area incluem também manguezais que são considerados áreas úmidas de importância mundial, constituindo um Sítio Ramsar, o qual dá sustento a várias comunidades costeiras.

A degradação em vários ecossistemas de Serra Leoa tem sido amplamente relatada, com ênfase na cobertura florestal, nos ecossistemas marinhos e costeiros, e na biodiversidade de água doce e salobra.

Um novo projeto PNUD-GEF está sendo proposto com vistas a promover a gestão sustentável dos ativos naturais da Serra Leoa. Isto implica na aplicação de uma combinação de instrumentos, como a integração da biodiversidade (ou “mainstreaming”), aprimorando o marco de políticas e práticas, e reconciliando a gestão de áreas de floresta, de zonas costeiras e dos manguezais, com o desenvolvimento da economia local de maneira sustantável.

Durante anos, Serra Leoa sofreu a interferência antrópica, com a adoção de  práticas nocivas ao meio ambiente como a extração de areia, pedra e seus derivados, a tomada de territórios, poluição da água, uso de redes de pescas inapropriadas, desmatamento das reservas florestais e práticas agrícolas como a derrubada e queimadas. 

 

As consequências da perda da biodiversidade em um país em desenvolvemento como Serra Leoa são consideráveis e de grande escala.

 

Serra Leoa depende em boa parte de seus recursos naturais, derivados da agricultura, silvicultura, do turismo e da extração.
 

Pelo menos 80% da população é rural, e depende quase que inteiramente da biodiversidade e ecossistemas para se prover de alimentos, fibras, remédios, insumos e gerar qualidade de vida. Esses recursos estão diminuindo e há urgência na boa gestão dos ativos naturais e da economia do país.

O principal objetivo deste projeto consiste em incentivar a gestão sustentável do capital natural de Serra Leoa através da implementação integrada de diversos instrumentos de gestão (ou "mainstreaming") relativos à biodiversidade, à integração da gestão das zonas costeiras e florestais, e a programas para um turismo sustentável. 

 

O projeto em foco visa fortalecer as leis e o marco institucional e legal que afetam diretamente o desenvolvimento sustentável da zona costeira de Serra Leoa. O projeto trabalhará com os gestores e responsáveis pela planificação do uso da terra e pela gestão de áreas protegidas. Trabalhará também com as comunidades locais, para que se tornem agentes de conservação. 

Alem disso, o projeto também tem como finalidade apoiar a cooperação entre as partes interessadas pelo
desenvolvimento, implementação inovadora de boas práticas, promovendo também o turismo de baixo impacto ambiental.